2.10.12

Não espero ser mais que sou,
da alma que sou, a génese que sou, a alegria que sou
não espero rasgar mais o sorriso, perder o olhar, viver mais que aquilo que vivo agora, ansiar
mas sonho
sonho ser mais forte, sereno, mais fiel, menos terreno, mais aberto,
menos medo
tolerante, latenjante, ser mais carne
menos errante
cometi, como tu, erros mil, ponderei cada um,
assumi
nisto deitei os olhos, mil vezes dormido,
aqui e ali uns sulcos, peso nos olhos
brilhante e ardente, por vezes só,
às vezes gente

A vida deixa faróis acesos por noites a fio e às vezes espera-se gente que não aparece.
Por vezes ao extinguir essa luz aparece outro ser que nos remenda, nos conserta, nos faz crer.
E dessa primeira luz se esquece.
E viver.
Não digo que nunca, não digo para sempre,
prometer é coisa de gente.
Tal como ser.

Escrever deve ser intemporal. Tal como nós somos, ainda que com data de validade na marca física que deixamos no Mundo. Estar feliz é intemporal e, ironicamente, é uma das alegrias que mais tempo consomem na vida - e nunca com a sensação de estarmos a perder.


Sem comentários: